MOÇAMBIQUE | Insurgentes Tentam Invadir Prisões em Cabo Delgado

MOÇAMBIQUE | Insurgentes Tentam Invadir Prisões em Cabo Delgado

O poder paralelo instalado no norte de Moçambique tem desafiado o poder do estado até aos limites das suas imaginações. Os insurgentes de Cabo Delgado, que nos últimos tempos têm assassinado e feito reféns a muitas pessoas daquela zona do país, estão a entrar em territórios ‘consagrados’ ao estado e ‘sagrados’ para o Estado de Direito Democrático e a soberania da nação. Segundo o Ministério Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos (MJACR), numa declaração desta segunda-feira, os insurgentes tentaram assaltar as cadeias de Mocímboa da Praia e Macomia, o maior da província, e ameaçaram assaltar o estabelecimento penitenciário de Mieze.

 

 

Importa salientar que o estabelecimento penitenciário de Mieze fica no distrito de Metuge e é semi-aberta. As tentativas de assalto não foram consumadas devido à ação dos guardas dos estabelecimentos prisionais, mas isso não é sinal de satisfação para o país, uma vez que mostra que os insurgentes estão a ganhar terreno face ao poder civil e estão a perder medo de enfrentar os ‘territórios sagrados do estado’. Dando sinais de que estão a ultrapassar a fase de ‘esconde esconde’ com o poder do estado, os insurgentes do Cabo Delgado já estão a tentar ultrapassar a fase de atacar os cidadãos e fugir dos militares e outros agentes de segurança e querem partir para a batalha com vista a derrubar, difinitivamente, o poder civil na Província.

Para Helena Kida, ministra do governo moçambicano, “perante a ameaça de invasão armada aos estabelecimentos penitenciários em Mieze, Mocímboa da Praia e Macomia, os agentes não se amedrontaram nem se acobardaram, tendo demonstrado bravura e coragem que impediram os assaltos planificados pelos terroristas”. A mesma acrescenta, ainda, que os operadores de segurança nos estabelecimentos prisionais que estiveram sob a mira dos insurgentes “resistiram por duas vezes à tentativa de assalto aos estabelecimentos e asseguraram a evacuação de 89 reclusos para lugar seguro”.

O governo moçambicano decidiu promover os agentes que estiveram na resistência contra as tentativas de assalto. Este sinal merece duas leituras: por um lado, poderá ser um incentivo aos agentes que estão na linha da frente de combate aos insurgentes; mas, por outro lado, mostra um certo sinal de fragilidade de um governo que, praticamente, está a perder o controlo da situação em Cabo Delgado e, com isto, tem empurrado os resistentes a um combate quase missionário.  “Destacaram-se 24 agentes da guarda penitenciária que nos termos do artigo 39, do Estatuto da Guarda Penitenciária, vão promovidos por mérito a patente ou posto imediatamente superior por terem prestado serviços relevantes e extraordinários na missão de protecção da sociedade”,

A insegurança na Província de Cabo Delgado leva moçambique a fechar, parcialmente, as penitenciárias de Macomia e Mocímboa da Praia.