Maritza Rosabal Estará Dimissionária e Amadeu Cruz Poderá Subir

Maritza Rosabal Estará Dimissionária e Amadeu Cruz Poderá Subir

A Ministra da Educação, Maritza Rosabal, terá apresentado, na manhã de hoje, um pedido de demissão do cargo, pedido esse que, provavelemente, está a ser analisado pelo executivo de Ulisses Correia e Silva. A notícia é avançada pelos jornais ‘on-line’ Santiago Magazine e A Nação, que citam fontes próximas do Palácio da Várzea.

 

Em causa, poderão estar intensas pressões sobre o Ministério da Educação, num ano atípico, em que se procurou um ‘casamento’ entre aulas presenciais e aulas à distância. O início deste novo ano lectivo, também, esteve submergido no problema de falta de manuais escolares, que motivou a Primeira-Dama, Lígia Fonseca, a pedir aos estudantes que saiam à rua para exigirem os seus direitos. Isso causou algum ‘calor’ nas relações institucionais, sendo que, para muitos, a voz da Primeira-Dama é um claro recado do Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Os motivos do pedido de demissão invocados pela Ministra da Educação, segundo a imprensa supracitada, são, em primeiro de tudo, questões de saúde. Porém, não se lhe conhece problemas tão urgentes, que não a deixariam aguentar o Ministério por mais quatro meses.

O mais certo é que as eleições legislativas venham a acontecer em Abril próximo. Portanto, são quatro meses que estão pela frente, mas quatro exigentes meses, na medida em que o desafio do ensino à distância ainda não está ultrapassado. Aliás, o governo disse que o ensino à distância veio para ficar e a TV Educativa, recentemente lançada na paisagem mediática nacional, é um sinal claro de que, ainda que a pandemia venha a passar, o país continuará a reforçar o seu sistema de ensino à distância.

Faltando quatro meses para as eleições legislativas de 2021, o mais certo é que Ulisses Correia e Silva não venha buscar soluções de fora do seu elenco governamental para assegurar um dos ministérios mais importantes do organograma do governo. Amadeu Cruz, Secretário do Estado da Educação, poderá estar a caminho da liderança do Ministério da Educação. As próximas horas serão fundamentais para se compreender as mexidas forçadas no governo de Ulisses Correia e Silva.