A Vida aos 40

A Vida aos 40

Nem todos os números são iguais. Há uns que são mais mágicos do que outros. Têm mais simbologia. Encerram coisas. Significados. Segredos. Mitos. O número 40 não é um número qualquer. Trata-se de um número que incorpora uma certa maturidade. Quando as pessoas atingem os 40 anos, parte-se do princípio de que elas são amadurecidas. Sabemos que nem sempre as coisas são assim, mas isso é outro assunto.

 

O número 40 representa muita coisa. Entre elas, encontramos: mudanças, transformações e desafios. O número 40 também representa a capacidade de decisão. Quando uma pessoa atingir quarenta anos de idade, deverá desenvolver maturidade suficiente para poder tomar decisões sem pestanejar . Aos 40 anos, os indivíduos devem ter mais certezas do que dúvidas... certezas sobre si, sobre a sua vida e sobre o que pretende de si. Por isso, nessa altura, as pessoas devem desenvolver paciência suficiente para, por exemplo, apenas ouvirem o mar; saberem escutar os silêncios; calarem-se perante um momento de fúria. Saber estar com o outro. Mas, também, saber estar consigo mesmo.

Há muitos mitos que envolvem o número 40. Alguns poderão ser apenas mitos, mas, também, poderão ser coisas que marcam, de forma indelével, a nossa existência. Afinal, o homem não se alimenta apenas do que os seus olhos enxerga. Tem a necessidade de alimentar o espírito, algo que nem ele vê, mas que sabe que existe porque, ele mesmo o espírito, tem momentos que ele se encontra numa santa paz, tem momentos em que ele se mostra muito irrequieto. O homem o sente. Tanto nos momentos de acalmia, como nos momentos de tensão.

Na Bíblia, o número 40 ocupa um lugar sagrado: para começar, Jesus passou 40 dias no deserto à procura da tão inspirada orientação da divindade. Antes de encontrar os Dez Mandamentos, Moisés passou 40 dias de jejum. Foram 40 dias e 40 noites de chuva que deram corpo ao grande dilúvio retratado nas Sagradas Escrituras. Por isso, 40 não é um número qualquer. É um aproximar da divindade se se entender que a divindade se encontra numa procura interna constante e numa progressão moral que leva o homem para mais perto da paz, da serenidade e da tranquilidade.

Aos 40, sê sereno. Por aí, vai ver o que vale e o que não vale a pena. E, também, irá perceber que a idade não poderá ser apenas números, mas tem de se traduzir em experiência. A vida começa aos 40? Sim! Porque não?

Há dois anos, a atriz brasileira Taís Araújo completou 40 anos. Fê-lo e deixou uma reflexão sobre a vida aos 40:

“Hoje faço 40 anos. Muitas coisas passam na minha cabeça: a família que eu nasci, a família que construí, as amizades que conquistei e que faço questão de manter ao meu lado, os parceiros de trabalho que me ajudam na construção da minha carreira, a minha própria carreira, a minha relação com o meu país, com o meio ambiente, com o mundo, com as pessoas que gostam de mim e do meu trabalho, a relação com as que não gostam de mim e do meu trabalho, o respeito ao outro, o respeito a mim e aos meus sonhos, à minha vida e às vidas dos outros. Dos outros? Sim, pq minha vida não faz sentido sem o outro. Quem seria esse outro? Todos que me cercam e até os que não conheço. Se me perguntarem o que gostaria de presente de 40 anos, eu diria saúde; pra criar meus filhos e continuar trabalhando muito, do jeito que eu gosto e respeito, a mim, aos meus e a todos os outros. Que venham os 40 e que me esperem os outros tantos que viverei”.

 

Roberto Carlos teve a sabedoria de descrever, numa letra da música, o que é uma mulher, quando alcança os 40:

 

“Sorriso bonito
Olhar de quem sabe um pouco da vida
Conhece o amor
E quem sabe uma dor
Guardada escondida

Por experiência
Sabe a diferença
De amor e paixão
O que é verdadeiro
Caso passageiro
Ou pura ilusão

É jovem bastante
Mas não como antes
Mas é tão bonita
Ela é uma mulher
Que sabe o que quer
E no amor acredita

Não quero saber da sua vida, sua história
Nem do seu passado
Mulher de quarenta eu só quero ser
O seu namorado

Não quero saber da sua vida, sua história
Nem do seu passado
Mulher de quarenta eu só quero ser
O seu namorado

Não importa a idade
A felicidade
Chega um dia que vem
Se ela vive feliz
Ou espera de novo encontrar outro alguém

Se ela se distrai
Uma lágrima cai
Ao lembrar do passado
Seu olhar distante
Vai por um instante
A um tempo dourado

Retoca a maquiagem
Cheia…”

 

Jornal Arquipélago – 2020.