Dois Portugueses Condenados Por Terem Apoiado o Jihadismo

Dois Portugueses Condenados Por Terem Apoiado o Jihadismo

Dois arguidos portugueses foram condenados por apoio, auxílio e colaboração com o terrorismo islâmico, “em concurso aparente com o crime de financiamento ao terrorismo”. O Tribunal Criminal de Lisboa condenou hoje Rómulo Costa e Cassimo Turé a pena de prisão de nove anos e oito a seis meses por apoio a organizações terroristas. No entanto, foram absolvidos dos crimes de adesão e recrutamento de militares ao terrorismo por falta de “certeza jurídica”.

 

O acórdão deu como provado que os dois arguidos já conheciam a situação que a Síria vivia e também já sabiam das convições político-religiosas extremistas de Nero Saraiva, Sadjo Turé, Edgar Costa, Celso Costa, Fábio Poças e Sandro Marques. Esses amigos e irmãos teriam formado organizações que são reconhecidos pela ONU e pela União Europeia como movimentos terroristas. E os dois portugueses teriam apoiado essas organizações, tendo alguns dos citados viajado com o passaporte de um dos arguidos.

O tribunal defende que os dois arguidos sabiam dos esquemas fraudulentos e da forma ilegal como aliciavam jovens para as fileiras de suas organizações e do propósito das mesmas em integrar esses jovens no conflito armado na Síria. O Tribunal defende, ainda, que os combatentes dessas organizações matavam e torturavam vítimas do conflito na Síria e no Iraque e em outros lugares do mundo.

O acórdão diz ainda que os atos praticados colocaram em causa a integridade e independencia dos Estados, funcionamento das instituições, a segurança, a vida e a liberdade. Sublinha, de igual modo, que os dois arguidos sempre agiram de forma consciente e livre, apesar de saberem das consequencias punitivas de seus atos.

Ricardo Serrano Vieira, representante da defesa, disse que vai recorrer da decisão do tribunal e afirma que as provas apresentadas pelo Ministério Público não servem para justificar a condenação.

CES/ Jornal Arquipélago