Donald Trump Leva Eleições Norte-Americanas para os Tribunais

Donald Trump Leva Eleições Norte-Americanas para os Tribunais

Joe Biden ficou ontem a um estado de se eleger Presidente dos Estados Unidos da América, depois de garantir 264 dos 270 delegados de que precisa no Colégio Eleitoral. A um passo de ser o 46º Presidente dos Estados Unidos da América, o candidato democrata faz um discurso de união, dizendo que está confiante na vitória. Quem não se mostrou contente é Donald Trump, que já recorreu à justiça para repor aquilo que tem estado a defender como uma grande fraude nas eleições presidenciais norte-americanas.

 

Perante um cenário de hipotética derrota frente ao seu adversário, a candidatura de Donald Trump já avançou com uma ação judicial para suspender a contagem de votos em alguns estados e, noutros – como o caso de Wisconsin –, pediu a recontagem dos votos.

Em Wisconsin, quando um candidato contestar os resultados eleitorais perante um cenário em que a margem do resultado entre as candidaturas é superior a 0,25% do total dos votos, terá de pagar três milhões de dólares norte-americanos para poder dar entrada da ação. O dinheiro é devolvido se se confirmar que está munido de razão e se o resultado reverter a seu favor.

Já, desde a madrugada de quarta-feira, Donald Trump se declarou vencedor das eleições norte-americanas, tendo ‘acenado’ com os tribunais, caso o resultado final não lhe seja favorável. Ainda não se tinha conhecido os resultados finais, Donald Trump começou a dizer que iria recorrer à Suprema Corte para contestar os resultados eleitorais.

O grande receio do ainda Presidente norte-americano era que os votos que foram chegando por correio, maioritariamente dos democratas, poderiam contrariar algumas vantagens que teria em estados de Meio-Oeste, podendo comprometer a sua reeleição. Os seus ‘piores pesadelos’ acabaram por se confirmarem.

Contrariando o ímpeto judicial de Donald Trump, Joe Biden optou por um discurso de estado, apelando à união dos americanos.

As eleições presidenciais nos Estados Unidos da América ainda não são ‘favas contadas’. Os democratas, a se confirmarem como vencedores, terão que se preparar para enfrentarem Donald Trump e os republicanos nas barras dos tribunais.