PORTUGAL | Coronavírus Cavalga Segunda Onda em Números Acima dos 2000 Casos Diários

PORTUGAL | Coronavírus Cavalga Segunda Onda em Números Acima dos 2000 Casos Diários

A segunda onda da pandemia provocada pelo novo coronavírus, em Portugal, está a atingir proporções mais preocupantes do que a primeira onda, alcançando máximos de casos diários que o país ainda não tinha experimentado. Atingindo mais de dois mil casos de infeção em apenas 24 horas, o país está em véspera de entrada em vigor do estado de calamidade pública, que acontece às zero horas desta quinta-feira.

 

 

António Costa, primeiro-ministro de Portugal, está ciente de que são necessárias mais medidas para combater a expansão do vírus no país. Daqui a poucas horas, entra em vigor o estado de calamidade, que visa apertar em termos de restrições. Não se trata de um caso isolado, mas, em toda a Europa, a preocupação com o crescimento do volume de infeções voltou à ordem do dia. Alguns médicos, em entrevista à comunicação social, têm mostrado o receio de que a segunda onda possa, ainda, ser pior do que a primeira e que o vírus possa chegar a mais gente. Em Espanha, esses receios fazem-se presentes.

Em Portugal, o dia de ontem foi sintomático: 2072 casos positivos de infeção por novo coronavírus e sete mortes no período de 24 horas. Ao todo, contabilizam-se 2117 óbitos e 91.193 casos confirmado, desde a chegada do vírus ao país.

O jornal Público olha para o progresso do vírus no espaço: “pela primeira vez, a região Norte ultrapassou os mil novos casos, tendo registado mais 1001 infetados — o que corresponde a 48% do total de casos identificados nas últimas 24 horas — e três vítimas mortais. Lisboa e Vale do Tejo reportou esta quarta-feira mais 850 casos (41%) e quatro mortes”.

Recorrendo aos dados da Direção-geral da Saúde do país, o supracitado jornal, ainda, escreve que, dos recuperados, contabilizam-se “mais 446 pessoas relativamente ao dia anterior, contabilizando-se agora um total de 54.493 recuperados. Há, neste momento, 34.583 casos activos, mais 1619 do que na terça-feira — depois de subtraído o número de recuperados e de óbitos ao total de infecções”.

Em Portugal, estão, neste momento, 957 pessoas no internamento. Desse número, 135 encontram-se amparadas em unidades de cuidados intensivos.

Os casos de infeção pelo novo coronavírus estão em franco crescimento na Europa. O caso do jogador português, Cristiano Ronaldo, anunciado ontem pela Federação Portuguesa de Futebol, segundo determinadas correntes de opinião na sociedade portuguesa, ‘humanizou’ a COVID-19, no sentido de as pessoas perceberem que ninguém está imune à doença. Nos Estados Unidos da América, há praticamente um descontrolo na contenção da infeção.