“A Queda de Um Anjo”

“A Queda de Um Anjo”

Era uma vez um ‘anjo’.  Um anjo que ocupava ‘a casa mais importante do mundo’. Uma casa de salão oval: a Casa Branca. Desta vez, a casa não caiu. Mas, o ‘anjo’ sim. Foi derrubado por um novo Presidente, que acabou de ‘nascer’... nos Estados Unidos. Esta estória aconteceu neste dia marcante para a América... e para o mundo. É o pontapé de entrada para o arranque de mandato 46º do presidente do país.

 

As eleições presidenciais de 2020 causaram tensões para os que sentiram o cheiro da derrota e uma euforia por detrás de uma calmaria daqueles que chegaram à meta de uma corrida rumo à Casa Branca. As sondagens feitas, o tempo inteiro, apresentaram uma possível futura derrota de Donald Trump, que, desde muito cedo, deu sinais e mostrou a intenção de querer transformar estas eleições numa grande ‘trumpalhada’. As tentativas de parar a contagem de votos; os gritos de vitória antecipada sem ter resultados; os gritos de ‘fraude eleitoral’; as mensagens que incitaram os ‘trumpianos’ a não aceitarem a derrota; tudo isso mostra a ‘trumpalhada’ em que Trump tornou estas eleições americanas.

O republicano foi ultrapassado em cima da meta pelo agora novo presidente, que, na sua declaração, pediu calma a todos os seus eleitores que estavam ansiosos em vê-lo com a chave da porta da Casa Branca nas suas mãos. Talvez seja porque, antecipadamente, sentiram que tudo estava a conspirar a seu favor. E o ‘anjo’ lutava contra a sua queda. Já teria sentido o cheiro da derrota. Mas, era difícil detê-lo nessa queda gigantesca. Não é todos os dias que um Presidente cai das cadeiras da Casa Branca. Um Presidente não... desculpem! Um ‘anjo’.

Nas últimas sondagens, a dois dias das eleições, as projeções atribuíam ao candidato republicano uma desvantagens de 46% contra 51% do democrata. Em 12 estados que há quatro anos tinham sido assegurados por Donald Trump (49%, contra 47% de Hillary Clinton). São eles: Arizona, Carolina do Norte, Florida, Geórgia, Iowa, Maine, Michigan, Minnesota, Nevada, New Hampshire, Pensilvânia e Wisconsin.

Trump está na situação em que se encontra, talvez porque não planeou tão bem como tinha planeado a eleição passada, de 2016. Nessa época, para a surpresa dos americanos e do mundo, saiu como ganhador. Foi por esse motivo que desconfinaram as suspeitas de que houve uma manipulação dos resultados por intervenção dos piratas russos.

Nesta campanha de 2020, ele resolveu estrear um novo número. Foi questionar na justiça os resultados da votação. Mas, o novo número não teve sucesso. Como se diz por aí, desta vez “não colou”. Isto, por causa de tantos outros números que teve durante os quatro anos de mandato. Quase que os americanos se despertaram e deram um basta nas loucuras de Trump. Ou será que foi o democrata que veio com tudo para derrubá-lo?

Foi o que aconteceu, Joe Biden derrubou um ‘Anjo’ e as ‘trumpalhadas’ de Trump, pelos vistos, chegaram ao fim.


Diana Sofia Moreira | Jornalista | Colunista