CANDIDATO A PRESIDENTE. Hélio Sanches Irá Enfrentar José Maria Neves e Carlos Veiga em 2021?

CANDIDATO A PRESIDENTE. Hélio Sanches Irá Enfrentar José Maria Neves e Carlos Veiga em 2021?

O advogado e consultor jurídico, Hélio Sanches, é oficialmente candidato às eleições presidenciais de 2021. A informação é avançada pela Agência Inforpress.

Hélio Sanches é, actualmente, deputado nacional eleito nas listas do Movimento para a Democracia (MpD-poder) e também  líder do grupo parlamentar da África Ocidental no Parlamento Pan-Africano.

Com este anúncio, Sanches deixa animado o grupo de cidadãos que queriam vê-lo na Presidência da República, designados “Movimento de Apoio à Candidatura de Hélio Sanches a Presidente da República (MACHS)”.

Para os promotores da candidatura, representado pela porta-voz Edson Ribeiro, é preciso ter na Presidência alguém que se preocupe com os “valores humanísticos” e lute para que estes sejam como “essenciais para a coesão e justiça social”. Como explica o mesmo, a Presidência da República precisa de uma pessoa, cujo carácter é “inatacável”.

Hélio Sanches já foi director-geral do Património do Estado, secretário-geral do Governo de Cabo Verde e membro da Comissão Nacional de Eleições de Cabo Verde, entre outras funções desempenhadas ao longo dos anos.

Deixou ontem a informação de que hoje pronunciaria sobre a hipótese de se candidatar ou não à Presidência da República. Hoje, a informação é confirmada pela Inforpress. Falta saber quem são os outros 'players' para as presidenciais de 2021. Na área do PAICV, José Maria Neves é quase uma certeza. No campo político do MpD, o mais certo é o partido apoiar outra candidatura, que não seja a de Hélio Sanches. Carlos Veiga e Jorge Santos estão numa 'guerra fria' para colher apoio do Partido. Há alguma tentação no seio do MpD de abraçar uma possível candidatura liderada por Jorge Santos. Se isso acontecer, o mais certo é que Carlos Veiga avance. E o MpD irá entrar em eclipse político.

Enquanto as eleições legislativas acontecem no primeiro semestre do próximo ano, as presidenciais irão decorrer no segundo semestre do mesmo ano. Jorge Carlos Fonseca, esgotando a possibilidade legal de, sequencialmente, poder candidatar-se à Presidência da República, deixa espaço aberto para uma larga competição entre os pretendentes ao Palácio do Plateau.

 

PLS/Jornal Arquipélago