HERMÉNIO FERNANDES | “O Que Nós Estamos a Propor para São Miguel não é Nenhum Mito”

HERMÉNIO FERNANDES | “O Que Nós Estamos a Propor para São Miguel não é Nenhum Mito”

Herménio Fernandes foi um dos candidatos mais votados nas eleições autárquicas de 2016. Era a primeira vez que ‘Meno’, como é conhecido, se lançava às lides autárquicas para liderar uma lista, tendo, antes, assumido a Câmara Municipal por cerca de um ano, quando João Duarte, antes de terminar o mandato, cedeu-lhe o ‘volante’ do Município para ele sentir o ritmo da estrada. Nos quatro anos do mandato inteiramente dele, conseguiu deixar uma marca na governação autárquica em Cabo Verde e, dos 22 municípios do país – ou porque se lhe ame, ou porque se lhe odeie –, tornou-se o presidente de Câmara Municipal mais falado. Quando se lançou para a corrida autárquica de 2020, quase que era unânime que ‘Meno’ ia a passeio. Isto, embora se soubesse que, qualquer eleição, só se ganha com os votos introduzidos nas urnas. Por isso, não facilitou. Fez uma ‘campanha Q.B.’ e voltou a ter uma votação expressiva e viu, em concreto, o que sempre disse: ‘que é um autarca bimotor’.

Neste segundo Mandato, Herménio Fernandes pretende mudar estruturalmente São Miguel. Diz que o Município vai passar a produzir embarcações de médio porte; também, o Município irá desenvolver a produção de energia limpa para introduzir na rede elétrica; a eletrificação e a água nas torneiras serão a 100% no horizonte do mandato, segundo diz; ainda ‘Meno’ pensa transformar São Miguel num polo de desenvolvimento local. Tudo isso tem uma base de suporte o Parque Industrial de São Miguel, que vai ocupar um espaço de 30 hectares. Pelo menos, 15 empresas já estão alinhadas para o ‘estaleiro empresarial’ que Herménio Fernandes diz que irá montar em São Miguel neste mandato. O projecto Jica para libertar os furos de água para a agricultura, segundo nos conta, também não é para demorar. Vamos seguir a primeira parte da entrevista como Herménio Fernandes, a bordo deste arranque do seu segundo mandato.

_______________________________________

GRANDE ENTREVISTA - Parte I

______________________________________

Por: Silvino L. Évora | Fotos: Andrea Gomes e Diana Moreira

Jornal Arquipélago/ISE Digital Media

 

Gostaria de saber o que vai fazer de diferente em relação ao mandato passado?

Em relação ao mandato passado, nós vamos concretizar projetos estruturantes, que vão complementar todo o trabalho que nós estamos a desenvolver neste momento. Temos projetos a nível de acessibilidade, vamos concretizar a ligação do anel interno do Município que liga Cutelo Gomes à Igreja; temos projectos na Ribeira de São Miguel. Uma estrada estruturante, muito importante para melhorar a acessibilidade das populações, mas, também, com uma vocação económica muito forte, devido às actividades como a agricultura, a pecuária e o turismo, uma vez que esta Ribeira tem grande potencial para crescimento. Mas, também, vamos avançar com um porto ou um pequeno cais costável ou ainda uma pequena bacia de pesca no Porto da Calheta para melhorar as condições de trabalho dos pescadores e de todos os marítimos que trabalham neste porto. Isto porque, o setor das pescas, em São Miguel, está a crescer e há cada vez mais gente a trabalhar nesta área, a produzir.

Também, uma nota muito importante aqui é o surgimento de pequenas empresas no setor das pescas no município de São Miguel. Há um grande trabalho em curso de melhoria de capacidade de captura, porque há hoje mais embarcações que já estão a trabalhar no município. O número de pequenas embarcações na pesca artesanal está a aumentar. A pesca semi-industrial está a crescer. Há mais peixeiras a trabalhar neste setor. Hoje, já temos uma unidade de produção de gelo a funcionar no Município e vamos aumentar a capacidade para mais vinte toneladas no Município de São Miguel brevemente. O equipamento já foi adquirido, estando neste momento a ser transportado para Cabo Verde. Pensamos que brevemente, daqui a um mês ou dois no máximo, teremos uma maior capacidade de produção de gelo em São Miguel.  Outro projeto de grande envergadura que nós vamos erguer durante este mandato é a construção da estrada Chão de Horta, Ribeira de Principal, Mato Dentro. Nós vamos garantir, brevemente, eletrificação a 100% no Município, com os investimentos na eletrificação rural da localidade de Mato Dentro e, também, de “Gón Gón” porque são duas localidades que, ainda, não têm energia convencional, pelo que nós estamos a trabalhar fortemente para a garantir.