NEIDA ROMPÃO | “A Mulher Sofre Muito Estigma. Por Isso, Estou a Lutar Contra a Corrupção e Para Mais Igualdade”

NEIDA ROMPÃO | “A Mulher Sofre Muito Estigma. Por Isso, Estou a Lutar Contra a Corrupção e Para Mais Igualdade”

Neida Rompão, candidata da UCID para a Câmara Municipal de Santa Catarina de Santiago, está no terreno para convencer os santa-catarinenses sobre a bondade do seu projecto e as ideias que tem para o Município. Neste segundo dia de campanha, pouco depois das 8h da manhã, Neida Rompão e a sua equipa já estavam a caminho dos Engenhos. O programa de hoje abarca Librão dos Engenhos, João Bernardo, Mato Gêgê e Telhal.

 

 

Começou por Librão dos Engenhos, onde a população local diz sentir-se esquecida. Não tem luz, nem água canalizada e nem rede das telecomunicações, num mundo onde as novas tecnologias ditam uma linha divisória entre o passado e o futuro.

Neida Rompão afirma que nem todas as localidades de Santa Catarina estão a ser desenvolvidas e pede um voto de confiança às populações de Librão dos Engenhos, para, junto com a população local, trabalhar no desenvolvimento das zonas rurais.

Caso ganhar as eleições, propõe levar água, luz e rede móvel para Librão dos Engenhos. Diz que vai apostar em painéis solares nas casas das famílias dessa localidade, uma vez que existe um bom clima que favorece o recurso às energias renováveis.

Considerando que a sociedade cabo-verdiana ainda não está muito preparada para confiar os poderes nas mãos das mulheres, Neida Rompão diz que o seu desafio é grande e que tem um duplo trabalho. Além de sensibilizar as pessoas para votarem a sua proposta de governação para Santa Catarina, ainda tem de moldar a mentalidade para que acreditem que uma mulher seja capaz de governar bem, diz a candidata. “A mulher sofre muito estigma. Por isso, estou a lutar contra a corrupção e para mais igualdade. A mulher tem competência técnica para fazer as coisas de forma mais justa e é capaz de fazer gestão e estar aonde ela quer estar”, diz Neida Rompão, acrescentando: “aceitei, de bom grado, o convite da UCID porque, em Santa Catarina, a exclusão continua a aumentar-se”. Sendo enfermeira, Neida Rompão afirma que, com a experiência profissional no Centro de Saúde Reprodutiva, vê claramente a desigualdade e a situação de exclusão.

 


PGV / Jornal Arquipélago, 2020.