PARLAMENTO | MpD Enaltece os Ganhos do Poder Local. PAICV e UCID Indignados com Declaração Política ‘de Joana Rosa’

PARLAMENTO | MpD Enaltece os Ganhos do Poder Local. PAICV e UCID Indignados com Declaração Política ‘de Joana Rosa’

O Movimento para a Democracia (MpD) apresentou, nesta manhã, no plenário da Assembleia Nacional, uma declaração política, com enfoque no poder local, num momento em que o país está a meio da campanha eleitoral para as autárquicas de 2020. Na declaração, a bancada do Movimento para a Democracia enalteceu as conquistas, no âmbito do poder local, conseguidas desde a instalação do Municipalismo em Cabo Verde, no princípio dos anos 90. Quem não gostou foi a bancada do PAICV, que acusou Joana Rosa, líder da bancada do MpD, de usar o plenário da Assembleia Nacional para fazer campanha para o seu partido político, no âmbito das eleições autárquicas. A UCID também mostrou-se indignada.

 

Joana Rosa, na apresentação da Declaração Política, lembrou que “de 1992 a esta parte, a população passou a usufruir um poder próximo e tem participado massivamente nas eleições, escolhendo os seus representantes locais de forma livre e democrática. Foi um virar de página rumo ao processo de construção de um Poder Local livre e democrático, pluralista, independente, congregador das vontades, sensível aos problemas locais, catalisador dos desafios que o dia-a-dia da população reclama”. A líder da Bancada do MpD na Assembleia Nacional disse, ainda, que, “imbuído de ousadia e convicções políticas fortes e de uma visão de gestão estratégica de governação, o Governo do MPD, implementou, em 1992, o municipalismo em Cabo Verde, visando claramente a descentralização do poder com impactos diretos na democracia e no desenvolvimento local ao serviço dos munícipes”.

Joana Rosa disse, também, que “estes 4 anos da atual governação do país, liderados pelo Dr. UCS, trouxeram uma nova atitude em relação ao exercício do poder em Cabo Verde, caracterizada por uma visão de parceria e de respeito mútuos entre o  Governo e todas as Câmaras Municipais do país, independentemente das suas cores partidárias, tendo como princípio a complementaridade, a subsidiariedade e o espírito de missão de serviço público, com impactos fortes no reforço da descentralização, na luta contínua pela redução das desigualdades e assimetrias regionais e na promoção dodesenvolvimento do país no seu todo”.

O PAICV e a UCID não gostaram da Declaração Política do MpD. Da parte do PAICV, respondeu o deputado Felisberto Vieira, que rebateu muitos dos assuntos retratados por Joana Rosa. Por seu lado, João Santos Luís, deputado da UCID, mostrou-se indignado com a situação, acusando a líder da Bancada do MpD de usar a tribuna da Assembleia Nacional para fazer o apelo ao voto a favor dos seus candidatos que estão no terreno,  em campanha, para as autárquicas de 2020.