CASO DE POLÍCIA | Cannabis Apreendido No Interior Da Ilha De Santiago

CASO DE POLÍCIA | Cannabis Apreendido No Interior Da Ilha De Santiago

 A Polícia Judiciária, através da Secção Central de Investigação de Tráfico de Estupefacientes (SCITE), apreendeu 4134, 5 kg (quatro mil, cento e trinta e quatro, cinco quilogramas) de cannabis no interior da ilha de Santiago, na passada terça-feira, 03 de novembro

 
A Polícia Judiciária, com a colaboração das Forças Armadas, conseguiu apreender milhares de quilogramas de cannabis, que também é conhecida na ilha de Santiago como 'padjinha'. Essa apreensão aconteceu nas diversas localidades do interior de Santiago, por ordem do Ministério Público. A informaçao é avançada pela Polícia Judiciária, através da sua nota de imprensa, onde, também, afirma que foram 108 efetivos que colaboraram na operação, entre os quais, elementos da Polícia judiciária e das Forças Armadas.
Em alguns países, a marijuana é legalizada e até é utilizada para fins medicinais. Pelo contrário, em Cabo Verde, não é legalizada e os que a cultivam ilegalmente têm o objetivo de vender aos que a consomem. A cannabis é frequentemente consumida devido aos seus efeitos psicoativos e fisiológicos, que podem incluir o bom humor, a euforia, o relaxamento e o aumento do apetite. Entre os efeitos colaterais indesejados, estão a diminuição da memória de curto prazo, boca seca, dificuldades motoras, vermelhidão dos olhos e sentimentos de paranóia ou ansiedade.
A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que cerca de quatro por cento da população mundial (162 milhões de pessoas) usa a cannabis, pelo menos, uma vez ao ano e cerca de 0,6 por cento consome-a diariamente. A posse, o uso ou a venda da cannabis começou a tornar-se ilegal no início do Séc. XX em diversos países ocidentais, principalmente nos Estados Unidos. A proibição do consumo da erva tornou-se global após a Convenção Internacional do Ópio, assinada em 1912, na Cidade de Haia, quando diversas nações decidiram proibir o comércio mundial. Desde então, as leis que regulamentam a proibição da planta se intensificaram ao redor do mundo.
 
DSM /  Jornal Arquipélago - 2020.