REPORTAGEM | “Eu tive Câncer, mas o Câncer nunca me teve” - Lena Andrade

 REPORTAGEM | “Eu tive Câncer, mas o Câncer nunca me teve” - Lena Andrade

Lena Andrade, de 39 anos, mãe de três filhos, natural da ilha de Monte Cara (São Vicente), é uma das vítimas de câncer de mama. Com a notícia da doença, distanciou-se dos seus três filhos e foi evaquada para Portugal, através do INPS, com a finalidade de iniciar o tratamento.

Lena Andrade, numa conversa ao Jornal Arquipélago, conta que ela sempre encarou o câncer como uma simples “gripe ou enxaqueca” e que nunca se sentiu doente. Sempre foi uma verdadeira guerreira perante essa terrível doença. Lamenta que a parte mais difícil foi separar-se dos seus filhos, afim de fazer o tratamento em Portugal e, também, a quimioterapia. Essa guerreira afirma que, apesar dessa parte mais difícil, sempre enfrentou a sua situação com garra e muita determinação.

O câncer é uma doença crónica, marcada pelo crescimento desordenado de células, que invadem os tecidos e os órgãos. Estas células devidem-se rapidamente e tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo. De salientar que esta terrível doença invade vidas e tira sonhos a milhares de pessoas todos os anos.

Lena Andrade ainda se encontra em tratamento, cheia de motivações e de esperanças. Neste momento, está em fase de fisioterapia devido à sua última cirurgia e ao esvasiamento de axilas. No dia 6 do corrente mês, Lena Andrade afirma que vai iniciar o novo tratamento de radioterapia. Incentiva todas as vítimas de câncer de mama a não desistirem da luta e a encarrar sempre, de cabeça erguida. Realça que metade da cura de câncer está dentro da mente.

É de se salientar que o câncer é uma das princiapis causas da morte em todo mundo. Algumas pesquisas mais recentes demostram que  a adoção de um estilo de vida saudável tem um poder supremo de proteger contra o desencadeamento da doença e, também, de influenciar positivamente o seu desenvolvimento ao longo do tratamento.

De relembrar que estamos no “Outubro Rosa”, um projeto que tem como o objetivo de abraçar a causa, para fortalecer, inspirar, apoiar e encorajar todas as mulhers vítimas de câncer de mama.

 

PGV/Jornal Arquipélago