“Gatuno, Falsificador e Aldrabãozeco”– Amadeu Oliveira faz Fincapé com a Justiça

“Gatuno, Falsificador e Aldrabãozeco”– Amadeu Oliveira faz Fincapé com a Justiça

O advogado Amadeu Oliveira diz que já não vai a nenhum tribunal criminal de Cabo Verde para responder a qualquer processo judicial contra si por livre e espontânea vontade. Só fará isso se for levado à força, por autoridades policiais ou militares. A expressão da revolta de Amadeu Oliveira, que vem hoje na agência noticiosa Inforpress, deve-se ao facto de os tribunais terem deixado prescrever um processo-crime contra si, em que o advogado acusa o juiz Ary Spencer dos Santos, figura bem colocada no Conselho Superior da Magistratura Judicial, de “gatuno, falsificador e aldrabãozeco”. E volta a explicar porque diz tudo isso: “vou continuar a dizer que o juiz Ary Spencer Santos é um juiz prevaricador, que insere falsidades dentro dos processos, que já fez fraude para prejudicar o próprio Estado, que já cometeu fraudes para prejudicar investidores estrangeiros, que já cometeu falsificações e fraudes para prejudicar um advogado e que é gatuno porque mandou assaltar uma propriedade privada, um gabinete de um advogado ilegalmente”, salienta, numa declaração à Inforpress.

 

Para o advogado, o arquivamento do processo impede-lhe de fazer provas das suas afirmações. Por isso, sente-se indignado. Assim, Amadeu Oliveira traduz essa indignação na recusa de ir aos tribunais, sem o recurso à força, para responder a qualquer processo-crime em que se vê arrolado: “a partir deste momento, eu me declaro um resistente, um combatente, já não vou acatar nenhuma ordem, nenhuma instrução que venha de qualquer tribunal crime de Cabo Verde”, disse à Inforpress.

A luta de Amadeu Oliveira contra a forma como a justiça cabo-verdiana se encontra montada não é de hoje. O advogado tem vindo a fazer denúncias cíclicas, dizendo que há uma ‘não justiça em Cabo Verde’, salientando que, no meio do aparelho judiciário, encontram-se juízes e procuradores que forjam ou apagam provas, com vista a favorecerem uns e a beneficiarem outros.

Neste momento, Amadeu Oliveira tem processos a decorrer nos tribunais do país, em que é acusado de ter atentado contra o bom-nome de uma série de profissionais da justiça, entre os quais, Fátima Coronel e Benfeito Mosso Ramos. Porém, o advogado não está entusiasmado a comparecer em tribunal para responder a essas acusações de forma espontânea, dizendo que só lá irá se mandarem-no buscar em Santo Antão, com força policial ou então com a força militar, tendo que sair dali algemado.

O sector da justiça está debaixo de críticas nos últimos tempos, tendo alguns questionamentos chegado ao Plenário da Assembleia Nacional. Alguns profissionais da justiça, descontentes com o pronunciamento da deputada da bancada do MpD, Mircêa Delgado, já vieram ao público mostrar uma posição de força em relação a determinadas instâncias de autoridade nacional.

Recorde-se que o sector da justiça é recebido, ao longo dos tempos, uma boa carga de críticas, tendo no epicentro do descontentamento público a questão da morosidade, com processos a se arrastarem nos tribunais sem dias de verem um desfecho.