HIV/SIDA | Cabo Verde com balanço Positivo no Diagnóstico e Tratamento Da Doença

HIV/SIDA | Cabo Verde com balanço Positivo no Diagnóstico e Tratamento Da Doença

A Secretaria Executiva do Comité de Coordenação do Combate à Sida (CCS/Sida), fez um balanço positivo do tratamento do HIV/Sida em Cabo Verde, sobretudo, após a adopção do programa “diagnosticar/tratar” que aumentou a taxa de diagnósticos.

“O programa ‘Diagnosticar/Tratar’ foi um grande ganho e vamos mantê-lo, pois, com isso começamos a incluir as pessoas diagnosticadas, precocemente, no tratamento”, disse Celina Ferreira, no âmbito do Dia Mundial de Luta contra a Sida, que se assinala hoje, 01 de Dezembro.

Conforme adiantou, hoje as pessoas que vivem com HIV possuem condições de esperança de vida normal, como a das outras pessoas, desde que cuidem da sua saúde. E para que cuidem melhor da saúde, Celina Ferreira, disse que a CCS/Sida, na situação da pandemia da COVID-19, continuou o programa e adaptou-se a ponto de desenvolver actividades com dispensa de serviços às grávidas, grupos vulneráveis, trabalhadores do sexos e outros.

“No início da pandemia tivemos algumas dificuldades, mas após termos adoptado o guia prático, sobre o que uma pessoa que vive com VIH deve saber sobre COVID-19, orientamos as pessoas a como proceder e que regras de segurança seguir, trabalhando a vertente prevenção, despistagem e apoio psicossocial”, acrescentou.

Ainda na Secretaria Executiva do CCS/Sida, na rubrica prevenção, foi oferecido um pacote de serviço preventivo com gel, lubrificante e preservativos, sobretudo, nas ilhas do Sal, Boa Vista, Santiago e São Vicente. Segundo informou Celina Ferreira, a maior dificuldade nesta pandemia, foi com a questão do apoio psicossocial e alimentar às pessoas que vivem e convivem com HIV/Sida.

Para contornar a situação, disse que a CCS/Sida promoveu uma acção de formação em artes e ofícios para as pessoas que vivem com VIH tenham uma melhor instrução na matéria.

Em Cabo Verde a prevalência do VIH na população em geral é fraca e ronda os 0.6 por cento (%), sendo a mulher a mais infectada com 0.7%.

No país existem 2.600 pessoas em tratamento sendo que, destas, 85 são crianças. As ilhas com maior número de pessoas em tratamento são Santiago, São Vicente, Sal e Boa Vista.

Para assinalar a data está previsto um acto central no palácio do Governo com um balanço da prestação de respostas HIV/Sida no país, uma reflexão de como mitigar a COVID-19 e acelerar as respostas do HIV, e uma exposição dos artigos de arte feitos por pessoas que vivem com a doença.

PLS/Jornal Arquipélago-Inforpress