Presidente da República Recebe Primeira Dose da Vacina AstraZeneca e Apela a Adesão da População à Vacinação

Presidente da República Recebe Primeira Dose da Vacina AstraZeneca e Apela a Adesão da População à Vacinação

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, recebeu hoje no Centro de Saúde de Tira Chapéu, a primeira dose da vacina AstraZeneca contra a COVID-19 e apelou a população na adesão à vacinação.

Após o acto da vacinação da primeira dose da vacina AstraZeneca, Jorge Carlos Fonseca disse que ser vacinado no Dia Mundial da Saúde é uma “boa” coincidência e que quis colaborar com as autoridades sanitárias.

Segundo assegurou o Chefe do Governo, a grande esperança é fazer uma vacinação da população com “êxito” e com “sucesso”, para que Cabo Verde possa retomar, o mais breve possível, os caminhos de crescimento económico.

Jorge Carlos Fonseca, afirma não ter sentido nenhum receio ao ser vacinado com a AstraZeneca e apelou a todos os cabo-verdianos que quando for a sua vez, que tome a vacina com “confiança” e “esperança”, porque só assim se pode vencer a pandemia da COVID-19.

Apelou aos cabo-verdianos a pôr os “receios” e as “fantasias” de lado, de modo a terem uma atitude “positiva” de colaboração com as entidades sanitárias, pelo que espera que depois dele venham a aderir à vacinação e que a meta que foi estabelecida possa de facto ser cumprida, que é os 70 por cento (%) da população vacinada até o final deste ano.

No mesmo dia também, o ex-Presidente da República, Pedro Pires, recebeu a mesma vacina no Centro de Saúde de Achada Santo António e afirma que não há outra saída a não ser recorrer à vacinação.

Neste sentido, destacou, a importância da vacinação, salientando que estava convencido que poderia “estar livre da vacinação”, só que, precisou, o estado epidemiológico no País, particularmente na Cidade da Praia, “agravou-se”, houve um aumento do número de infectados pela COVID-19, sendo assim, reiterou, “a saída é vacinação”.

“Vacinação não é nenhum bicho de sete cabeças, passamos toda a vida a fazer vacinação, hora contra isso, hora contra aquilo”, disse, lembrando da sua primeira vacinação contra varíola, há mais de 70 anos.

Pedro Pires sublinhou que se deve encarar a vacinação com “realismo” e “otimismo” porque, conforme precisou, pensa que “não há grandes riscos”, mas que caso haja riscos, são “ínfimos” e “não tem impacto”.

O ex-Chefe de Estado chamou a atenção da população para a necessidade de aderirem à vacinação, tendo explicado que este trata-se de uma questão de saúde pessoal, de saúde pública e de educação.

Uma senhora de 109 anos foi também vacinada hoje no Centro de Saúde de Achada Santo António.

PLS/Jornal Arquipélago-c/Inforpress| Cabo Verde - Palmarejo Grande | 2021